Missa da Família

Os nossos queridos Papas, Beato João Paulo II (saudosa memória) e Bento XVI, em suas homilias e exortações, sempre defenderam a família...

 

I – JOÃO PAULO II (Beato)

Alguns textos da carta “Familiaris consortio” (1981)

-A familia, fundada e vivificada pelo amor, é uma comunidade de pessoas: dos esposos, homem e mulher, dos pais e dos filos, dos parentes. A sua primeira tarefa é a de viver fielmente a realidade da comunhão num constante empenho por fazer crescer uma autêntica comunidade de pessoas. O princípio interior, a força permanente e a meta última de tal dever é o amor: como, sem o amor, a família não é uma comunidade de pessoas, assim, sem o amor, a família não pode viver, crescer e aperfeiçoar-se como uma comunidade de pessoas. Quanto escrevi na encíclica Redemptor Hominis encontra exatamente na família como tal: «O homem não pode viver sem amor. Ele permanece para si próprio um ser incompreensível, e a sua vida é destituída de sentido, se ele não se encontra com o amor, se não se o experimenta e se não o torna algo próprio, se nele não participa vivamente».

- Amar a família significa saber estimar os seus valores e possibilidades, promovendo-os sempre. Amar a família significa descobrir os perigos e os males que a ameaçam, para poder superá-los. Amar a família significa empenhar-se em criar um ambiente favorável ao seu desenvolvimento. E, por fim, forma eminente de amor à família cristã de hoje, muitas vezes tentada por incomodidades e angustiada por crescentes dificuldades, é dar-lhe novamente razões de confiança em si mesma, nas riquezas próprias que lhe advém da natureza e da graça, e na missão que Deus lhe ha confiou: «É necessário que as famílias do nosso tempo tomem novamente altura!. É necessário que sigam a Cristo»

 

II – BENTO XVI (atual Papa)

a) Carta por motivo do V Encontro Mundial das Famílias (17 maio 2005)

- Os pais são os primeiros evangelizadores dos filhos, dom precioso do Criador, começando pelo ensino das primeiras orações. “Assim se vai construindo um universo moral enraizado na vontade de Deus, no qual o filho cresce nos valores humanos e cristãos que dão pleno sentido à vida”.

- Ao tornarem-se pais, os esposos recebem de Deus o dom de uma nova responsabilidade. Seu amor paterno está chamado a ser para os filhos o sinal visível do mesmo amor de Deus, «do qual procede toda paternidade no céu e na terra».

b) Discurso (13 de maio de 2006)

- A estabilidade da família está particularmente em perigo; para a salvaguardar, é necessário ir com freqüência contra a corrente, em relação à cultura predominante, e isto exige paciência, esforço, sacrifício e busca incessante de compreensão mútua. Mas também nos dias de hoje os cônjuges podem superar as dificuldades e conservarem-se fiéis à sua vocação, recorrendo ao auxílio de Deus através da oração e participando assiduamente nos sacramentos, de maneira particular na Eucaristia. A unidade e a solidez das famílias ajudam a sociedade a respirar os valores humanos autênticos e a abrir-se ao Evangelho. Para isto contribuem o apostolado de não poucos Movimentos, chamados a trabalhar neste campo em harmoniosa sintonia com as Dioceses e as paróquias.

Pensando, juntamente, neste desafio de DEFENDER os valores familiares, numa sociedade onde os perigos contra a família estão cada vez mais acentuados, desenvolvemos o projeto MISSA DA FAMÍLIA. 

Nessa Missa muitas famílias são restauradas e acontece um grande momento de reflexão e conversão. Muitas vezes por pequenas coisas, a família vira consórcio e vem o divórcio, pois é mais fácil buscar a separação onde cada um olha pra si mesmo e toma o seu caminho,  do que buscar ajuda em Deus para superar os inevitáveis conflitos que surgem nos relacionamentos entre o casal e na educação dos filhos. 

Nós acreditamos na família! Uma família que luta todos os dias para viver o amor e o perdão. Onde o casal se preocupe com os filhos criando um relacionamento saudável dentro de casa, buscando a felicidade e o bem-estar do outro, nesta troca de entrega e doação de quem quer e busca a plena realização dos membros do seu lar. 

 

III – MISSA DA FAMÍLIA (questões práticas)

Para acontecer uma missa da saúde é preciso o consentimento do Pároco da cidade e a participação da comunidade. Se a paróquia conta com os trabalhos da Pastoral Familiar, esta deverá se organizar na liturgia e convidar os casais de toda a paróquia, principalmente os que estão mais afastados da comunidade.

É extremamente importante a participação ativa da pastoral família e seus membros na animação litúrgica e também na preparação e divulgação da Missa da Família.

Graças a Deus, temos uma infinidade de canções que nos ajudam a cantar, valorizar, defender e resgatar os valores familiares. Nosso intuito com a missa da família é viver e colocar em prática todas as utopias possíveis lutando contra aquelas correntes que insistem em dizer que a família é uma instituição falida e que o casamento é bom só “enquanto dura”. Queremos mostrar que podem existir famílias santas e com o desejo de fazer aqui na terra, a exemplo da sagrada família, um lar de felicidades e amor.

Nestas celebrações buscamos unir as famílias contra as dificuldades que este mundo nos oferece, lutar contra os males que são oferecidos todos os dias, a falta de diálogo, a traição, o divórcio, a violência familiar, o abandono de crianças, o aborto, e tantos outros males que dividem as famílias brasileiras.

É simplesmente emocionante ver os pais perdoando e pedindo perdão para seus filhos; filhos que abraçam seus pais e experimentam a força do amor e do perdão; casais que se perdoam e renovam seu compromisso de amor e fidelidade...

Leve esta experiência de amor, fé e perdão para sua cidade.

Baixe ou Imprima Aqui o Texto da Missa da Família em PDF